domingo, 22 de junho de 2008

O Medo

Já ouvi muitas explicações para a derrota portuguesa com a Alemanha (pouca concentração, pouco empenho, pouca preparação, árbitro, os acasos do futebol). Todas têm um pouco verdade. No futebol, o resultado é sempre fruto da conjugação de diferentes variáveis. No entanto, a razão principal para a derrota portuguesa foi o medo de errar. Durante os dias que antecederam o jogo a ênfase da análise esteve sempre no risco de errar e nas fragilidades da nossa equipa. Os jogadores portugueses sentiram isto e estavam tão preocupados com o erro que demoravam mais tempo a pensar o jogo e a reagir às acções do mesmo. Nos primeiros 25 minutos foi óbvio que Portugal estava sobretudo preocupado com o jogo da Alemanha e com os riscos que corriam. Nos lances de bola parada os jogadores pareciam ter mais receio do risco da acção e do erro do que concentração nos automatismos da acção defensiva. Nos remates, quase todos fora do alvo desta vez, era óbvio a preocupação dos jogadores em mão desperdiçar a oportunidade. O receio de errar levou os jogadores a perder a naturalidade do gesto. O medo faz-nos perder segundos e sentir mais frágeis. Acaba com a naturalidade da acção. No futebol isso determina que se chegue sempre mais tarde e se execute pior. No futebol o pensamento tem de ser espontâneo e não pode ser pensado. O gesto executa-se, não se pensa. Ou, talvez melhor, o pensamento nunca pode estar subordinado ao medo e à dúvida que ele instala.
Esta equipa foi assim o reflexo actual de Portugal. Um país com medo. Medo do risco, medo de errar, medo da mudança. Medo de nós próprios.

3 comentários:

Manuel Fernandes Tomás disse...

http://www.sinedrio-fdl.blogspot.com/

de.puta.madre disse...

Nada disso.
Fomos EnRatados pela Alemanha!

Explico:

A Alemanha fez bluff no Jogo com a Croácia. ( A Croácia também saiu mascarada, como se bem viu no jogo com a Turquia. E viva a Turquia!)

O Jogo - Alemanha-Croácia - ao qual prestamos a atenção errada ( o Scolari especialmente, ele e os jogadores) foi um jogo de engodo - foram simuladas falsas fragilidades, para mascarar as verdadeiras.

A Alemanha apostou bem! Mais vale uns Lusos-folgazões e semi-iludidos com as pseudo-fragilidades Alemãs ( Daí! O muito inteligente 2 lugar no seu grupo) do que uns Lusos-em-crescendo-de-confirmado-favoritismo-com-pózinhos-de-conquistadores-dos-mares-&etc. e mais perigoso: com a informação certa sobre o valor da Alemanha. BOM BLUFF!

Fomos ingénuos. Claro que as histórias dos frangos no quintal do Ricardo devem ter chegado à Alemanha. ( Não esquecer que o Ricardo tirou os 3 à Inglaterra!!!)

Conclusão: fomos EnRatados, puros e singelos Ratos na armadilha Alemã. Não é só o CR que está agora com o chupa a mão! ...
PS.: Foi um Ale-MANHA – Portugal. Viva a Turquia!

totodasbersas disse...

Não percebo porque raio falam de futebol quando a cerveja está directamente ligada tanto à miséria quanto ao futebol!!! Se não fosso o Eulálio eu queria ver quem encontrava a solução para o caso grvíssmo da fome no mundo.... e da sede, acho eu!´
Aí vai:

Eulálio Fominha, um primo afastado por parte de um tio que nunca engravidou de Eulálio Preguiça e Eulálio Mortiço, farto de tanta miséria no mundo mete foice em seara alheia e resolve crise alimentar.
A CERVEJA! Ora, se em vez de cereais maltados forem utilizados cereais não maltados (cereais que nunca chegaram àquela malta, por exemplo, da Guiné-Bissau) como o milho, arroz de salpicão, massa de cotovelos da “Ajuda CE-Programa” 2008 distribuida pela Cruz vermelha, beterraba, espinafre, batata espanhola vizinha de nabo, bife de búfalo ensopado em etanol e ainda uma pitadinha de L-Carnitina Líquida da Goldnutrition sugerida pela Enetural, o problema da fome nem na cova de um dente furado caberá. Adicionando ainda o feijão preto, vermelho, ou branco poderá obter-se cerveja preta, agroselhada, e cerveja albina, respectivamente.
A perspicácia de E. Fominha desenterrou o melhor da doutrina do saudoso Dr. Oliveira Salazar: Fátima Futebol e Vinho eram o alimento do povo e, segundo registos da época, se não ligarmos às queixinhas daqueles cotas que estão na Assembleia da República sempre a encher a blusa há quase 30 anos, não havia quem passasse fome porque ninguém a queria, por isso nem que a quisessem passar ninguém pegava nela. Como a ocasião faz o ladrão, Eulálio numa ideia de génio, daquelas do género “ganhe dinheiro dormindo”, apenas substitui o vinho pela salvadora cervejola. “Bem, descobri que de cada vez que há um Mundial ou Europeu de Futebol é acrescentado mais um novo ingrediente na composição da cerveja, assim prevejo que lá para 2010 cada mini de 8cl já dê para alimentar 3 Hondurenhos, 4 ou 5 esfomeados do Burkina Fasso, 6 ou 7 Etíopes, 10 ou 11 Guineenses, e cada Português já atinja a satisfação plena com apenas 12 minis de litro e meio por refeição que passará a ser única diariamente”, acrescentando ainda que, para que sua previsão se verifique, passará a haver Europeus de Futebol de 3 em 3 meses e Mundiais todos os anos.
A nova Cerveja será benzida pelo padre Vítor Melícias, facto que, já garantiu, vai ser a coisa que mais o marcará, mesmo mais do que o livro que o marcou, “O Monge e o Executivo”, que o ajudou a ser um verdadeiro Líder, a tal ponto que acabou por fazer dele "O Gestor de Deus na Terra" com a nobre missão de não deixar cair os pobres na tentação do dinheiro, levando-o mesmo esquecer o sacerdócio sem nunca deixar de ser padre. Assim, a bendita cerveja será baptizada de "CERVEJA SALAZAR-o vinho da malta" ou "ETANOL GLOBAL BEER".