sábado, 5 de janeiro de 2008

É dreda ser angolano

Surpresa. Há em Angola uma música anti-poder. Mão amiga, bem informada, e sobretudo mão com muito bom ouvido, ofereceu-me no Natal o cd “É Dreda Ser Angolano”. Olhei, e sem ouvir pensei que, das duas uma, ou me saía viagem nostálgica ou incursão exótica. Quando ouvi, ouvi. E resumo: é bom, a caminhar para o muito bom. Não propriamente por ser anti-poder, o que também não é coisa pouca, vindo donde vem, mas por ser um rap personalizado, crítico, com um terrível sentido de humor que nasce, antes de mais, de uma fina observação daquele real “não sei se chore, não sei se ria” que é a marca registada da vida em Luanda. Há ali, no “Dreda”, uma Angola nova. Temos conversa.


3 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

O rapper angolano Bob Da Rage Sense na apresentação do seu album MPLA (Menos Pão, Luz e Água). Assim é conhecido o glorioso partido nalguns meios.

alves fernandes disse...

excelente o tema (e o vídeo para quem esteve em Luanda!)do MC K 'Atras do Prejuizo'

alves fernandes disse...

Alguém sabe se já foi lançado o DVD?
obrigado