terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Velhos são os novos (e vice-versa)

Depois de ler o post do Pedro estive quase para não ir mas procurei um pouco mais e cheguei a um excelente sítio de críticas de cinema. Não consigo explicar porque não me ocorreu fazer isso antes. Parece que gostava de dizer mal dos nossos críticos (com excepção do Eurico de Barros, cujos textos todavia não se podem ler na net - e como já ninguém compra o DN...). E encontrei os famosos Rotten Tomatoes. Aconselho vivamente o site. E fui ver o filme. E acabei por gostar, não, acabei por gostar muito. Mas percebo que é um filme que ó se gosta ó se não gosta. E confesso que não consigo bem explicar porque gostei. Mas a explicação deve estar relacionada com a coisa de o filme brincar com a idade. Ao princípio parece mesmo que nem a avó morre, nem se janta e os 10 primeiros minutos não são o melhor do filme. Mas gostei, gostei mesmo. Mesmo tendo quase 3 horas. Ora viva a diversidade.

1 comentários:

Pedro Norton disse...

Pedro, dizes bem: viva a diversidade. Como costuma dizer a minha mulher, o que seria feito do amarelo se todos gostássemos do mesmo?