sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

António Aleixo (I)

Muito se tem querido falar, a propósito da actual crise, de um hipotético regresso das doutrinas de Karl Marx. Numa visão mais patriótica (e talvez igualmente eficaz !? ) aqui proponho, em alternativa, o regresso de António Aleixo. E justamente em relação à crise, que os nossos economistas teimam em não saber explicar, começo aqui por lembrar o que ele há muito dizia:

«A ninguém faltava o pão,
Se este dever se cumprisse:
- Ganharmos em relação
Com o que se produzisse.»

4 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Bem lembrado! É por essas e por outras que António Aleixo é convenientemente esquecido. Aa lusa não gosta de quem diga as verdades de forma tão simples

Pedro disse...

As doutrinas de Marx [e Engels] nunca partiram para lado algum, infelizmente as predições feitas por estes continuam cada vez mais actuais.
O Poeta não terá lido a obra de Marx e Engels, mas mesmo com os seus limitados conhecimentos académicos, tinha a inteligência para fazer o mesmo tipo de observação e resumi-la numa quadra.

Mas disse bem: muito se tem querido falar. Por algum motivo só é permitido querer falar.

Luis Melo disse...

Ora nem mais Gonçalo. Estão sempre a falar dos "de fora", mas "cá dentro" também temos que saiba pensar.

E duvido muito que a frase de Karl Marx seja mesmo dele. Não a vi escrita em lado algum.

Anónimo disse...

E o meu caro Pistacchini ganharia o quê? O coitado do Aleixo, que ainda está por provar fosse o autor de tão inteligentes quadras, certamente morreria de fome - pois a produção que lhe conhecia era a venda de lotaria.