quinta-feira, 9 de outubro de 2008

A crise contada aos mortais



O melhor que ouvi até agora sobre a crise encontra-se aqui:
Uma entrevista de Alain Minc na France Info que nos recorda que se calhar um dos problemas desta crise foi a desvalorização do respiro e capacidade de contextualizar as coisas no tempo associada à experiência "des grands esprits". Veja-se também como Warren Buffet voltou a ser o guru da moda nos EUA. No fundo, na origem desta crise também está a falta de memória económica resultante da política dos jovens lobos na finança. Mas também é necessário não substituir agora essa memória por outra memória...

2 comentários:

Diogo disse...

Money as Debt – Dinheiro é Dívida

Já alguma vez pensaram porque é que os bancos têm tanto dinheiro, enquanto os países, as empresas e os indivíduos estão tão endividados?

Neste vídeo, «Money as Debt» [Dinheiro é Dívida], Paul Grignon pega num assunto tabu e, de forma inteligente e divertida, torna-o num tópico facilmente inteligível. Costuma dizer-se que a verdade liberta, mas primeiro, costuma deixar-nos zangados. Depois de conhecer a verdadeira história do sistema bancário já não é possível voltar à crença mística da banca como um elemento útil da sociedade.

O vídeo revela os mitos e os conceitos relativos à história do dinheiro. Toda a gente gosta de dinheiro, toda a gente o deseja, toda a gente precisa e depende dele. O que quase ninguém percebe são os fundamentos do dinheiro. O que é o dinheiro e donde é que ele vem? Estas são algumas das difíceis realidades que Grignon expõe em linguagem simples.

Este curto segmento (8:20m) do vídeo conta a história de um ourives do Renascimento, e de como ele começou a cobrar juros de um ouro que não possuía e que não existia. Em suma, a essência da banca.

Os primeiros oito minutos e vinte segundos (8:20m) do vídeo 'Money as Debt' - legendados em português.

Pedro Norton disse...

Muita boa, a entrevista. Obrigado Miguel