quinta-feira, 13 de março de 2008

Interlúdio desportivo

O maestro despediu-se da Europa com uma enorme pateada na sala. Não merecia esta sorte. Mas a verdade é que a orquestra é fraca e o director do teatro percebe muito pouco da arte.
Vou fazer por esquecer a noite de ontem rapidamente. Na minha memória selectiva (que luxo supremo!) guardarei apenas os solos irrepetíveis com nos foi brindando ao longo de uma grande carreira.

PS: Notem bem as coisas pirosas que um homem diz por amor ao clube!

8 comentários:

Pedro Lains disse...

Getafe! Francamente! Até o glorioso Belenenses passava esses. Se lá chegasse, claro.

sofia rocha disse...

Os homens, mesmo os mais aptos e inteligentes, quando desatam a falar do Benfica,ficam muito sentimentais - parecem as mulheres a falar dos filhos.Os maestros conduzem as orquestras, não fazem solos, estes quem os faz são os solistas! Em que é que ficamos, é maestro ou solista? Creio que foi esta confusão de papéis que deu o resultado que está a vista. Mas está perdoado, eu também fico muito aflita quando o meu miúdo acorda ás duas da manhã com 40ºde febre...sentimento, aflição, mais a piroseira do fato-de-treino a caminho do hospital!

Pedro Norton disse...

Sofia:
Obrigado pelo esclarecimetno. Eu bem sei que os maestros não fazem solos (embora, tanto quanto sei e é pouco, os 1ºs violinos por vezes conduzam orquestras). Mas o que é verdade é que, no Benfica, o Rui Costa é simultaneamente maestro e solista. Coisas da bola...

sofia rocha disse...

Às vezes conduzem, quando o maestro é fraco e deixa, porque se tiver personalidade não vai na cantiga!Não me apresentei. Quando vivi na Madeira tive o imenso gosto de ter alguma responsabilidade jurídica na Orquestra Clássica da Madeira, de que era maestro o Rui Massena, sabe aquele que colaborou com o gato fedorento e que é mesmo mencionado numa letra "falamos com o Massena, temos boa cena..."? Esse mesmo!Quanto à condescencia final, registei, aqui vai, confesso a minha fraqueza: adoro desporto e passo os olhos pelos três-jornais-três desportivos diariamente. isto é que é piroso, mas é mesmo verdade! E já agora agradeço á revista J ( do jogo) de domingo a imensa alegria que me dá ler o MEC. Reitero, a questão do Rui Costa é um problema para qualquer treinador!

Pedro Norton disse...

Sofia,
peço desculpa pela muito machista e politicamente incorrecta condescendência.
E obrigado pelos comentários.

sofia rocha disse...

Desculpas aceites. Vou andar por aqui (quer dizer, vou espreitando, porque só nasci em 72). Entrou-me a modernidade pela porta, em forma de blog, agora que o emprego me saíu a voar pela janela. Obrigado.

Manuel S. Fonseca disse...

Pedro, estando de acordo com tudo, acho que a metáfora musical não faz justiça ao mais elegante jogador de futebol - essa forma ilegal de movimento - dos últimos 20 anos. O homem, quando corre ( e não sei se ele corre), é um geómetra em desiquilíbrio. A corrida, o movimento de RC, do nosso número 10, tem a mesma depuração estilística que se pode ver nos "Galgos" do Amadeo.
Mas sobretudo o que eu acho é que a Sofia-leitora-de-três-jornais-desportivos tem de passar a comentadora oficial do blogue - a nossa provedora, para a geração de 70. Saúdo-a com acrisolada simpatia.

sofia rocha disse...

Em defesa da minha honra,a propósito dos desportivos. Existe um lado sério neles ( os contratos, os regimes jurídicos, as associações, e figuras conexas, o direito supra nacional) que não interessa para aqui.
O resto faz as minhas delícias. Adoro os títulos e sub-títulos, são todo um portento, com as fotos, são autênticas operetas! Têm uma função terapêutica:a Leonor Pinhão, O Miguel Sousa Tavares,o Rui Santos, o Jorge valdano mais a defesa da arte. Lembram-me sempre que sou uma pobre, sem ventura, que não crê num Deus tão poderoso e por isso incapaz de fervor religioso. Quanto ao Rui Costa, não lhe digam nada dos galgos que era capaz de ficar baralhado...