segunda-feira, 26 de abril de 2010

Há um ano


Faz hoje um ano que um dos nossos foi feito Santo.
Parte da Igreja temeu chamar-lhe herói.
Parte do Estado (PR e PM) temeu assistir à Canonização.
Foi preciso um Papa alemão para lhe chamar herói e santo. Afinal, como o Povo desde sempre lhe chamou: Santo Condestável.
Excertos da Homilia de Bento XVI a 26 de Abril de 2009, em Roma:
«Sabei que o Senhor fez em mim maravilhas. Ele me ouve quando eu O chamo» (Sal 4.4).
Estas palavras do salmo responsorial exprimem o segredo da vida do bem-aventurado Nuno de Santa Maria, herói e santo de Portugal. Os 70 anos da sua vida situam-se na 2ª metade do século XIV e na 1ª do século XV que viram aquela nação consolidar a sua independência de Castela e extender-se depois pelos oceanos - não sem um desígnio particular de Deus - abrindo novas rotas que haviam de propiciar a chegada do Evangelho de Cristo até aos confins da terra. (...)
Características dele são uma intensa vida de oração e absoluta confiança no auxílio divino. Embora fosse um óptimo militar e um grande chefe, nunca deixou os dotes pessoais sobreporem-se à acção suprema que vem de Deus. São Nuno esforçava-se por não pôr obstáculos à acção de Deus na sua vida. (...)
No ocaso da sua vida, retirou-se para o convento do Carmo, por ele mandado construir. Sinto-me feliz por apontar à Igreja inteira esta figura exemplar nomeadamente pela presença de uma vida de fé e de oração em contextos aparentemente pouco favoráveis à mesma, sendo a prova de que, em qualquer situação, mesmo de carácter militar e bélica, é possível activar e realizar os valores e princípios da vida cristã, sobretudo se esta é colocada ao ao serviço do bem comum e da glória de Deus».

4 comentários:

joão wemans disse...

Muito obrigado por nos lembrar a data, que vem mesmo a calhar: nem 24 nem 25.
26.
Que Portugal possa reencontrar-se e seguir em frente, com ajuda de São Nuno, esse que não teve medo de apontar o caminho, na altura obscuro e incerto, da Independência.

Anónimo disse...

De realçar tb. que o glorioso Santo Condestável foi o introdutor, em Portugal, do Escapulário do Carmo, que todos os cristãos deviam ter e usar como importante protecção contra o Mal, sobretudo nestes tempos imo e amorais e onde o relativismo moral e vale tudo nos é imposto numa bem concebida estratégia de dois passos à frente e um atrás.

Em Fátima, na Capela da casa Beato Nuno, precisamente, fazem a imposição com solenidade, com um Sacerdote Carmelita devidamente Paramentado, foi lá que mo impuseram há alguns anos atrás.

Com os melhores Cpts.,
CCI

miguel vaz serra....... disse...

Um dia,
( no século passado, anos 60 )
num passeio dos alunos do Colégio I.V.S de Cernache do Bonjardim pelos jardins imensos do Seminário das Missões, lá ia eu no meio dos colegas.
Chegámos a um sítio estranho, com umas ruínas de 4 ou 5 pedras e o saudoso ( íssimo ) Padre Viriato disse. Aqui nasceu Nuno Álvares Pereira, vosso conterrâneo. Aqui era a casa de seu Pai. Sentámo-nos todos á volta dele e contou-nos uma história...Eu já na altura não me calava e bombardeei-o com perguntas.
Fiquei durante anos a olhar para uma estátua grande de São Nuno que está á entrada de Cernache do Bonjardim.
Como disse e bem a Inez, sempre foi o Santo Condestável, que os homens lhe chamaram......

miguel vaz serra....... disse...

"Santos e pecadores"

E a Democracia entrou em greve.
Pela 1ª vez, a casa da democracia, a AR está em greve. Mostra bem a fotografia da família portuguesa.
O País está a ser “atacado” pela especulação estrangeira, como se não chegasse a portuguesa nos últimos 20 anos por culpa de vários mentirosos nossos governantes.
O facto de como na Grécia terem escondido a verdade da nossa economia e estarem mais preocupados com os ordenados pornográficos de gestores como Mexia, que não tem classificação possível, o País mergulha também ele pela 1ª vez numa “pré-bancarrota”, pior que a que os Comunistas desencadearam nos anos 70 com governos e PR como Vasco Gonçalves e Costa Gomes e a pior descolonização do mundo feita por Mário Soares.
Quando o escudo fazia baixar o dólar nos anos 60 de tão forte e poderoso, agora Portugal faz descer o euro pela “baixeza” de nível profissional dos nossos governantes.
Como disse Morais Sarmento ontem na televisão, nós não temos Ministro da Economia numa fase tão catastrófica da nossa economia inexistente.
Pedro Passos Coelho deu a mão ao Governo em prol de ajudar o Estado tomando ele a iniciativa, tem que se dizer.
Os últimos líderes do PPD e “sus muchachos”, ainda falam mal dele, claro. A dor de cotovelo é dolorosa, mas o que é certo é que PPC tem mostrado ser ponderado, construtivo, moderado e “amigo” da boa vizinhança. Não é vira casacas como certos políticos que ontem chamavam Sócrates de mafioso siciliano e hoje beijam-no na boca desesperados pelos 750 milhões.
Veremos e indagaremos para ode foram esses milhões todos, que as casas ainda estão por refazer e as pessoas a viver com e como animais nas ribeiras da Ilha.
Não se pode dar tanto dinheiro a ninguém sem se supervisionar ao milímetro, que a máfia não é só continental!
Estamos mal, muito mal. Em valores, em esperança e em liberdade. Uma ditadura parlamentar, votada pelo povo, com uma Justiça banana e escandalosa que multa os cidadãos que põem a nú os corruptos e absolvem os mesmos.
Se isto é democracia…..transparente, livre, moderada, complacente, distribuidora, mãe de uma vida melhor, avançada e sem preconceitos?!...”eu vou ali já venho”