quinta-feira, 2 de abril de 2009

Quem o feio ama...



Assumo, logo à partida, que não acho este nosso blog nada feio. Antes pelo contrário. Acostumei-me a ele, afeiçoei-me a ele... e o que é que querem? Acho-o prático e bonito. Parece-me que nesta opinião estarei sozinho, mas isso, meus amigos, é inerente à minha própria vocação. Custa-me, é claro, mas tem que ser.
É certo que se costuma dizer que quem o feio ama bonito lhe parece. Admito, portanto, que possa estar enganado. Nem julgo que os gostos não se devam discutir. Pelo contrário: só assim perceberemos melhor do que gostamos. Estou disponível, por isso, para debater e até para concordar com uma eventual mudança da aparência deste nosso blog. Tenho a certeza, aliás, que não será por isso que deixarei de gostar dele. Provavelmente, passarei mesmo a gostar mais!
Atrevo-me agora, porém, a fazer a pergunta ao contrário. Será que se lhe mudarmos a forma passará alguém, por causa disso, a gostar dele? O povo, de facto, não diz que é por algo ser bonito que alguém o ama, mas, bem ao contrário, que é quando se ama algo que a sua beleza aparece.
Sugeriria, por isso, aos nossos ilustres recém-chegados - reconhecendo o atrevimento desta minha posição com que loucamente enfrento uma multidão -, que, antes de mudarem este nosso blog - o que certamente farão e para melhor -, se dessem tempo, primeiro, para o gustar. Espraiem-se por aqui connosco, demorando nestes quase nadas que nos vão ligando; divirtam-se com as divergências, com as convergências e com os impropérios. Disparatem, desbaratem; ponham, oponham, contraponham... e, sempre que quiserem, disponham. Estou certo que, nessa altura, a mudança, que me parece já inevitável, será então muito melhor.

5 comentários:

MEC disse...

Pronto, Gonçalo. Já cá não está quem falou.

Sofia Rocha disse...

Eu tenho uma relação emocional com este template.
É triste ter uma relação emocional com um template? É.
É triste ter uma relação emocional com um blog? É.
É esquisito estabelecer uma relação emocional com um grupo de pessoas que nunca se viu na vida e só se conheceu on line? É.
Mas eu tenho e começou há um ano.
Para mim, isto funciona como na minnha família: eu posso dizer mal do meu pai, mas ai do marido se fala mal do sogro. Tem cara feia durante 8 dias.
O blog precisa de um up-grade? Precisa.
Só eu posso dizer que o pai tem um feitio do pior.
Tudo muito emocional, nada
racional?
É.

MEC disse...

Eu compreendo e respeito, Sofia. Esta casa é sua e faz muito bem tê-la como gosta.

Sofia Rocha disse...

Gosto tanto tanto que já tinha escrito ao Manel, ao Pedro, e à Sofia, há mais de um mês, a sugerir a mudança gráfica.
Gosto tanto tanto que esta semana já tinha enviados uns mails e sms a falar novamente de mudança.
Seja bem vindo a esta família disfuncional.

Pedro Norton disse...

Eu também adoro a criança. Mas que ela é medonha, lá isso é.