quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Hitler, ao meio-dia em ponto

A Guerra e Paz - acuso-me - vai editar, no último trimestre do ano, alguns grandes livros. Um desses livros é um fantástico ensaio, obcecado com uma só coisa, com o humor que resiste a tudo, a tempos de cólera e de brasa, a tempos de guerra e caos. No livro contam-se algumas anedotas excepcionais. Uma para amostra:

Dois Judeus têm um plano para assassinar Hitler. Ficam a saber que o carro dele passa por uma certa esquina todos os dias ao meio-dia, e fazem-lhe uma espera com as pistolas bem escondidas.
Ao meio-dia em ponto estão prontos para disparar, mas não há sinal de Hitler.
Cinco minutos depois, nada.
Passam mais cinco minutos, e nada de Hitler.
Às 12h15, começam a perder a esperança.
Um deles diz para o outro: «Valha-me Deus, espero que não lhe tenha acontecido nada».

3 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

O pai judeu pergunta aos filhos:
- Isaac, já fizeste?
- Sim, papá.
- Jacob, já fizeste?
- Sim, papá.
- Sarah, já fizeste?
- Sim, papá.
- Ester, já fizeste?
- Sim, papá.
- Então podes puxar o autoclismo.

Pedro Norton disse...

e não se arranjam umas cópias para os companheiros de blog?

Vasco disse...

Um episodio famoso e veridico na mesma linha de humor em tempos de guerra.

Winston Churchill (que era um grande admirador de cinema, tal como o era o ja' citado Herr H.), na noite de 10 de Maio de 1941 em que Hess aterrou na Escocia, teria sido interrompido com a noticia enquanto se preparava para assistir a uma projeccao de um filme dos Irmaos Marx. Incomodado tera' respondido fleumatico:

"Hess or no Hess, I'm going to watch the Marx Brothers."

Mais episodios unicos deste verdadeiro bulldog da politica (outra citaçao numa carta de 1923:"I drink Champagne at all meals and buckets of claret and soda in between.") no excelente "Churchill: The Unexpected Hero" de Paul Addison e editado pela Oxford University Press.