terça-feira, 8 de maio de 2007

Annus Mirabilis

Já não sei quem dizia que não se podia confiiar, e eu não saio bem no retrato, em pessoas com três nomes (era o Bogart ou o velho Hitch?). Bogart desconfiava de pessoas que não bebiam. Eu desconfio ainda mais de quem não se ri de si próprio.

Gosto de Philip Larkin porque só tem dois nomes. Gosto de Larkin por causa do humor cáustico deste Annus Mirabilis com que, de si mesmo, sinceramente se ri. A pontinha de amargura fica-lhe a matar.

Annus Mirabilis
Sexual intercourse began
In nineteen sixty-three
(which was rather late for me) -
Between the end of the Chatterley ban
And the Beatles' first LP.

Up to then there'd only been
A sort of bargaining,
A wrangle for the ring,
A shame that started at sixteen
And spread to everything.

Then all at once the quarrel sank:
Everyone felt the same,
And every life became
A brilliant breaking of the bank,
A quite unlosable game.

So life was never better than
In nineteen sixty-three
(Though just too late for me) -
Between the end of the Chatterley ban
And the Beatles' first LP.

O sexo livre começou
Em mil novecentos e sessenta e três
(Tarde demais para mim) –
Entre o fim da proibição de
Chatterley
E dos Beatles o primeiro LP.

Até então fora só
Uma espécie de regateio,
Canção de bandido por um anel,
Uma culpa que aos dezasseis começava
E a tudo, tudo, se propagava.

De repente a bagunça irrompeu:
Toda a gente sentia o mesmo,
E todas as vidas se converteram
Numa brilhante conta bancária,
Num jogo impossível de perder.

A vida nunca foi tão boa
Como em mil novecentos e sessenta e três
(Embora tarde demais para mim) –
Entre o fim da proibição de
Chatterley
E dos Beatles o primeiro LP.

Philip Larkin, Annus Mirabilis, 16 June 1967, in High Windows ( Collected Poems, p. 167)

1 comentários:

Luis Serpa disse...

No nosso caso começou em 74... Não é verdade, pelo menos nas "colónias", mas é mais um argumento a favor desse ano.