quarta-feira, 17 de março de 2010

A escolha de Obama

Obama vem a Portugal, no próximo mês de Novembro, cumprindo a agenda da NATO. Terá recusado um convite prévio em solo espanhol dando um sinal que tardou, mas não falhou.
Na verdade, muitos se interrogaram sobre a razão que levou Durão Barroso a acolher, nos Açores, a cimeira que reuniu Bush, Blair e Aznar para debaterem a Guerra do Iraque. Porquê Aznar e Durão nesse encontro? Porque o Primeiro-Ministro espanhol tinha transferido o eixo tradicional da política externa de Madrid, do Continente para o Atlântico. Queria ser o parceiro de Washington na Península Ibérica, lugar ocupado por Portugal desde o centenário Tratado de Windsor, «herdado» pelos americanos no século XX.
Evitar ser secundarizado na geoestratégia do Atlântico terá movido Durão para a pista das Lages ficando conhecido como «o porteiro da Europa». Pior sorte tiveram os povos de Aznar e de Blair que sofreram atentados nos comboios e no metropolitano. Bush, pelo seu lado, passou à história como o homem da guerra dispensável sendo ainda cedo para saber se essa guerra foi ou não decisiva para evitar a reincidência do terrorismo nos EUA.
Nessa altura, Zapatero deveu a sua vitória à mentira da Direita sobre a matança de Atocha quando todas sondagens confirmavam Aznar no poder (que inicialmente atribuiu a responsabilidade à ETA). Logo depois, o socialista espanhol apressou-se a rever o pendor Atlântico da política externa de Madrid, invertendo os compromissos assumidos com Washington.
Obama recupera, em Lisboa, o valor seguro de uma aliança que não conhece flutuações politico-partidárias. Olé!

15 comentários:

Luís Bonifácio disse...

Cara Inez.

PAra além de ter roído a corda aos Norte-Americanos, Zapatero é actualmente o único chefe de estado que cedeu à chantagem dos terroristas.

É sobretudo este último facto que os Norte-Americanos o colocaram e ainda o mantêm (a ele e à Espanha) na prateleira.
E por lá vai continuar até que abandone o poder.

Zapatero, não é nem nunca será "Trustworthy"

Inez Dentinho disse...

Concordo consigo, Luís Bonifácio. Os americanos são muito sensíveis ao dossier terrorismo. Mas agora não é só em Zapatero que não confiam. É também em Espanha depois da efémera deriva Atlântica.

Anónimo disse...

Como o pensamento obscuro, que motiva a socialismocracia para o governo dos povos, não radica em exclusivo no solo luso, antes penetra todas as terras em roda do globo, em tal extensão que nem os oceanos chegam para lhes saciar a sede. (E, depois, quando todos os mares eles tiverem engolido, em que mares a NATO cumprirá a sua missão? Talvez por isso a adesão frenética, de países interiorizados e continentais, à organização... Sinal do fim dos mares?)
A maciez, a fôfisse, e o aconchego sociais que sugerem os discursos dos obamas, sarkozys, zapateros e outros socrateros, arrastam as esperanças dos ingénuos para uma nova geopolítica desacreditada na necessidade das paisagens, dos países e das nações. Pois que os corpos e sentidos das nações revelam-se no potencial que guardam as suas paisagens que informam os seus países...
É que, nesta onda de globalização socialistocrática, importa discernir o que vai sob os velos de lã que aqueles discursos configuram. A cimeira da NATO a realizar em Novembro em Lisboa, é a cimeira dos Chefes de Estado e Governo que constituem a organização (e outros convidados especiais, como Medvev), na qual pretendem aprovar o novo conceito estratégico da Aliança… Não seria oportuno lançar dentro da NATO uma ideia análoga à das rolhas do PPD, antes que os lobos travestidos desconjuntem o mundo de vez?

Nuno Cavaco

Lumenamena disse...

Olá,

Tenho uma surpresa para você no meu novo blog:
http//lumynart.blogspot.com/.

Passe por lá para o ir buscar.

Abraços,
LUmeNA

MIGUEL VAZ SERRA....... disse...

É com esta forma de "dizer" que aqui o povo e outros que se pensam diferentes, sentem a falta que esta mulher faz ao Jornalismo....e ao País, porque os amigos não.Sempre está!

miguel vaz serra....... disse...

Hoje o PSD fez história!
Afastou-se dos mamões de sempre, das vítimas profissionais, e dos vampiros que a idade já esqueceram....
61%....61%!!! Creio que diz tudo e espero que cale para SEMPRE quem nada fez.
O País, realmente e por 1ª vez em 5 anos, respira uma golfada grande, fresca, de ar puro. Sejamos honestos! Isto foi o melhor que podia passar!!!

miguel vaz serra....... disse...

E o Papa? este Papa! e o Vaticano? e as crianças? e os pedófilos, que não homosexuais adultos e livres ( nada de confundir as coisas!!! )?
e agora que já ninguêm mais se vai calar pois é impossível manter tantos milhares calados por mais tempo? Reunião de emergência, pede o líder ( eleito não em directas! )
e nós católicos? podemos pedir outro líder? puderam as crianças escolher? e agora????????????

joão wemans disse...

Se o Miguel Vaz Serra se quiser informar bem, não anda tão aflito - fica é assustado com a facilidade com que se organizam campanhas de propaganda com fundamento em falsidades e meias-verdades e na credulidade das massas; das quais tem capacidade e obrigação de se distinguir!?

miguel vaz serra....... disse...

Caro João Wemans
Nem aflito, nem assustado. Nunca tive medo e menos das verdades por mais que nos custem.
A ( as ) Igreja está cheia de episódios do mais disparatado ao mais sensato. Ainda este Papa era Cardeal ia eu a Roma e falava com amigos que trabalhavam no Vaticano.
Um dia, 2 semanas antes da morte do querido e saudoso Papa João Paulo II ,um padre amigo disse-me: Deus queira que não seja o Cardeal…. e disse o nome que eu achei estranhíssimo. Perguntei porquê e ele explicou-me. Deu-me variadíssimas razões com explicações que entendi e respeitei.
Esqueci-me da conversa e quando morre Sua Santidade e elegem novo Papa ouvi o nome e lembrei-me logo do que me disse. Logo depois este Papa fez umas declarações sobre o Islão que provocou logo nesse dia duas mortes de duas freiras ás mãos da vingança. Pensei em tudo o que me tinha dito e vi que ele conhecia bem a pessoa. Falta de sensibilidade e começo desastroso, como me tinham dito. Todo o trabalho de mais de 30 anos de calma e paz ecuménica, decapitado em segundos.
Como católico tenho direito a discordar e mais ainda tenho o direito a que o Líder seja alguém em que não se lhe possa apontar nada. Mas nada mesmo ou então não pode ser Papa. Não há campanhas nenhumas, existem sim umas décadas bem largas de esconder certas verdades que agora não vão parar, pois os tempos mudaram e a Igreja nunca soube acompanhar e parece ser que os seguidores, nós católicos, também não. A maioria vai á Igreja encharcada em Chanel, depois vão almoçar aos restaurantes mais caros da cidade, porque é Domingo e têm que mostrar os carros topo de gama e conseguem dormir sem pensar que nesse momento morre gente com fome, de Sida, quando há tratamentos mas certos Governos não compram porque andam demasiado ocupados em transferir dinheiro para as contas particulares na Europa, e que ali mesmo ao lado, estará alguém que comeu uma sopa dada por alguma organização não governamental ou até religiosas mas dorme na rua enrolado numas caixas de cartão. Bons católicos?
Vai-me dizer que não são todos..claro que não, eu também não disse isso. Nem disse que todos os padres são pedófilos nem que no Vaticano só vive gente má e perversa.
Disse e repito que também! E para mim basta haver um para se fazer um escarcéu !!! Simplesmente porque não pode acontecer. Infelizmente são milhares. E foram “protegidos” o que é repugnante. E o tempo dirá se estou errado.
Muita bruxa e bruxo se queimou, como Joana D’Arc para depois se pedir desculpa e Santificá-los. Galileu? Tudo rodava á volta da Terra em 1611,não era? Obras proibidas pela Igreja, condenação por heresia. Quem estava bem informado?
Em todos os tempos houve disparates e horrores praticados. Não há volta a dar-lhe e é melhor começar a chamar as coisas pelos nomes.
Penso que se deve falar das coisas com naturalidade. Como explicar porque é que os padres não se podem casar, quando foi que isso começou e porquê…O Papas sempre tiveram filhos até um dia em que tudo mudou. Porquê? Problema de heranças…Olhe a peste suína ainda hoje faz os Muçulmanos não comerem carne de porco!
Se as coisas fossem faladas e não houvesse preconceito e exagero ( como a forma como vive certa gente do clero, os fatos caríssimos que mandam fazer no Vaticano, sapatos nem falar, quando deviam viver com os mínimos e ajudar as crianças que morrem diariamente em África…… ) a Igreja estaria forte e não fragilizada e dividida, como estamos você e eu por exemplo. Isso sim me aflige e me assusta. Ver fome no Mundo e esbanjamento nos representantes de Cristo.
Diz para me informar….Prefiro não saber mais…Lembra-se do escândalo do Banco do Vaticano? Como ficou tudo isso? Onde foi parar o Alfaiate que sempre fez a roupa a Sua Santidade? Sabe que quem frequenta os sítios sabe bem o que se lá passa. Não quero saber mais. Dói !!!
Não é o hábito que faz a freira…
Não sei se sou capacitado, isso dirão os meus amigos, mas asseguro que sei distinguir o bem do mal… A Deus graças.
Um abraço e Boa Páscoa

( Inez,desculpe usar o seu espaço,beijo boa viagem e Boa Páscoa )

Inez Dentinho disse...

Caros Miguel e Joao
se se conhecessem, discordariam menos.
A primeira (e unica) condicao de um cristao é ser pecador. É com a nocao do bem e do mal que nos revemos em Cristo. Nesse sentido, seria impensavel nao acontecerem faltas na Igreja. Mas, para os crentes, o arrependimento acontece mesmo; e o perdao, tao mais dificil, tambem.
Uma coisa é certa: a Igreja está onde todos desistiram de estar, no centro de África, no meio de uma favela ou com os velhos que nao conseguem sair dos últimos andares da Baixa de Lisboa. A Igreja que conheco nao desiste de servir. Nao desiste de mim, nem dos dois que aqui discordam.
Quanto ao Papa, ainda ontem, em Ho Chi Min, ouvia na CNN um diplomata americano (insuspeito) levantar as questoes sobre esta alegada suspeita de indiferenca de Ratzinguer perante o crime de abuso sexual de um padre alemao sob a sua tutela. É, de facto, uma questao manobravel, Miguel. E para quem acredita no Espírito Santo, a Igreja é eterna e isto será mais um ataque ou mais um motivo de arrependimento. Ambas as hipóteses no caminho da salvacao. Daqui nao saímos.

Anónimo disse...

Já agora, se me permitem, sobre o assunto vale a pena dar uma espreitadela aos artigos seguintes:

I

Christopher Hitchens contra o Papa

“Antes ele achava que podia vencer os cristãos no debate de idéias. Derrotado e humilhado em recente confronto polêmico com o escritor católico Dinesh D’Souza, passou pela transmutação que já se tornou rotineira em ateístas militantes desmoralizados: não podendo sobrepujar intelectualmente seus adversários, quer enviá-los à cadeia.”
Olavo de Carvalho, Diário do Comércio, 1 de abril de 2010

Ler em: http://www.olavodecarvalho.org/semana/100322dc.html

II

O bem como instrumento do mal

“A Igreja não tem por que pedir perdão pelo mal que lhe foi infligido desde dentro por um grupo de psicopatas sequiosos de poder e riqueza, mas também não tem por que tentar salvar as aparências de uma organização que fez do bem o instrumento do mal.”

Olavo de Carvalho, Diário do Comércio, 1 de abril de 2010

Ler em: http://www.olavodecarvalho.org/semana/100401dc.html

Nuno Cavaco

Táxi Pluvioso disse...

Tocar no santo, mesmo de longe, ai como almejo isso.

miguel vaz serra disse...

" A Igreja que conheço não desiste de servir. Não desiste de mim, nem dos dois que aqui discordam" disse a estimada Inez Dentinho e essa SIM é a sua/nossa ( do João e minha certamente ) Igreja.
Só que..não é a Igreja de todos. Aguardemos em calma e paz que o tempo tudo resolve. Mas uma coisa é certa e basta ver e ouvir os católicos de a pé como eu,a Igreja Católica está dividida como nunca esteve nas últimas gerações e eu penso que é das melhores coisas que poderiam ter acontecido....Eu aguardo.

Luís C. Pires disse...

A ler o dossier de fundo do Courrier International sobre o terramoto em Roma.

Artigos nos Die Welt, The Gardian, Washington Post, New York Times, Corrière de la Sera, entre outros, que -como sabemos- são jornais de qualidade medíocre.

A cumplicidade, o silêncio, a hipocrisia e a falsidade a um nível nunca exposto antes.

Luís C. Pires disse...

A ler o dossier de fundo do Courrier International sobre o terramoto em Roma.

Artigos nos Die Welt, The Gardian, Washington Post, New York Times, Corrière de la Sera, entre outros, que -como sabemos- são jornais de qualidade medíocre.

A cumplicidade, o silêncio, a hipocrisia e a falsidade a um nível nunca exposto antes.