segunda-feira, 6 de abril de 2009

Meritocracia

Em Portugal desdenha-se o esforço.
Em Portugal não se atende ao mérito individual.
Em Portugal não se premeia o trabalho.
Eu esforço-me.
Eu evidencio mérito.
Eu trabalho.
Há um ano que escrevo neste blog de forma crítica, sendo que nos últimos meses tenho-me aplicado especialmente.
Debalde.
O melhor que consegui foram uns comentários de uns anónimos mais ortodoxos.
A consagração máxima ainda não a obtive.
Eu quero um processo.
Como é que é possível que eu ainda não tenha apanhado com um processo?
É só amiguismos, é o que é.

18 comentários:

joão wemans disse...

Ai é?
Pois então se ainda não viu veja "Sophie Scholl", um filme espantoso. Na FNAC não encontrei (eu vi, através do clube de video aqui do bairo, em Sintra).
Temos "processo" - e temos mulher.
Nesta Semana Santa, em que se celebra o "processo" do nosso Salvador, é bom lembrar que alguns de nós, ao longo dos tempos têm procurado "estar à altura" - e conseguido- dando-nos alento.
Feliz Páscoa!

João Wemans

joão wemans disse...

Com a pressa até me esqueci de evidenciar o nome da protagonista...
JW

JMG disse...

Se quiser eu ponho-lhe um processo. Temos que combinar uns detalhes tipo custas, honorários, natureza da difamação, gratificação e assim. Assunto sigiloso. Resposta esta mesma via.

António Taborda disse...

Não basta o esforço. Importa o talento e o conteúdo. Não somos apenas o que dizemos e/ou escrevemos.
Quem é? O que já fez? O que fará? Denúncias, recriminações, perguntas?
Não chega.
Conquiste primeiro a autoridade. Terá moralidade para ser reconhecida.

blackhill disse...

Masoquista em dificuldade?

Anónimo disse...

Um dos problemas crónicos do País é que se farta de premiar o esforço e o trabalho - que são dois predicados menores. Só assim se explica, por exemplo, que o professor Cavaco, homem esforçado e trabalhador, tenha o estatuto de brilhante académico de Economia. Acxontece que o prof. tem um doutoramento em York - escola que, como sabemos está para o universo britânico como a Autónona para para o português. O que deve ser premiado é o talento - que é o que parece faltar, por exemplo, ao catedrático Cavaco. Louçã tem mais obra publicada que o doutor de York.
Dr.ª Sofia Rocha,
A senhora tem mérito, porque esforça-se, trabalha, aplica-se. Mas, tal como ao professor Cavaco, falta-lhe talento - e o talento é que conta.

Anónimo disse...

Só se for um processo por falta de talento. Mas a crónica falta de inspiração - chamemos-lhe assim - ainda não é crime.

Tiago Moreira Ramalho disse...

Cambada de burrinhos, quase ninguém conseguiu perceber o post.

Eu também me ando a esforçar pelo mesmo, cara Sofia. Pode ser que o coelhinho nos traga um ovo recheado com um pedido de audição.

Cumprimentos

Luis Melo disse...

Lololol... muito bom. Quase tão boa como a piada do Mário Soares:

Mário Soares comentou hoje, no Porto, a eventual recandidatura de Durão Barroso à presidência da União Europeia, afirmando que "ele é um homem inteligente, mas é um rosto do passado".


É de mim, ou Mário Soares candidatou-se a PR com 81 anos, em 2006? Será que ele descobriu a fonte de rejuvenescimento entretanto, e não disse nada a ninguém

Sofia Rocha disse...

Senhor anónimo, tem razão em apreciar tanto o talento. Também eu o aprecio, talvez porque escasseie tanto.
Ouvi dizer que o Chef do Tavares Rico é muito talentoso.
Desafio-o a almoçar comigo no Tavares Rico.

Se o anónimo for um daqueles assessores bem pagos, que viaja em comitivas oficiais, paga você.

Se, ao invés, for apenas um pobre desgraçado que trabalha o dia inteiro fechado numa sala a ler blogs seleccionados e a lançar comentários em todos os posts que se lhe afigurem perturbadores da ordem,então, se esse for o caso, terei todo o gosto em pagar-lhe o almoço.

Todavia, tenho de impor uma condição. Aconteça o que acontecer, não me traga o Dr. Louçã.

Que me diz, parece-lhe bem? Lembre-se, talento lá não falta.

caracol disse...

Eu quero beijos! Só quero beijos.

Martim Bernardo disse...

Jah bumba

Klatuu o embuçado disse...

Esta lamúria pretende ser um poema, quiçá uma elegia?

Daniela Major disse...

Senhor anónimo que não gosta do Cavaco: bom, bom é mesmo o Sócrates que tem uma licenciatura duvidosa.

Ricardo Alves Gomes disse...

Lido o post, que me perdoe a meritória autora, mas "presunção e água benta...".
Esta Quinta-feira Santa participe nas cerimónias do "Lava-Pés". Há-de haver uma Igreja perto de si!

Anónimo disse...

Dr.ª Sofia Rocha,

Eu só trouxe o dr. Louçã à conversa a título de exemplo: até ele tem mais obra científica publicada do que o esforçado prof. Cavaco - facto comprovável e indespentível. Que raio de ideia essa de me sentar com tal personagem à mesa!... Tão-pouco faria a dr.ª Sofia passar pelo incómodo.

Agradeço o convite, mas não posso aceitar. Só uma vez fui ao Tavares Rico, ainda no tempo do sr. Fernando, e não apreciei o ambiente. As paredes forradas com enormes espelhos e os lustres gigantes assustaram-me. O que fazer no caso de terramoto? Além de que a refeição foi vigiada de perto por um zeloso empregado de olho na mesa - não um de nós meter ao bolso um talher de prata.

Não acredito que o chef do Tavares seja talentoso: deve ser um tipo esforçado, trabalhor e convencido como tantos.

Talento tem o meu amigo Evaristo.
Desafio-a a almoçar comigo no Solar dos Presuntos. E como não sou assessor nem um pobre desgraçado, dividimos a conta. O vinho ofereço eu.

victor simoes disse...

Olá Sofia, pelo caminho que leva a censura está instalada, já alguns blogues foram fechados e bloggers processados... você está na mira!

Boa Páscoa

Sofia Rocha disse...

Duelo aceite.
Escolha as armas ( dia e hora).
Precisa de padrinhos?