domingo, 15 de março de 2009

200 mil a favor de Sócrates


A manchete de um dos diários de hoje é eloquente: «200 mil contra Sócrates». Acreditamos. Mas gera o efeito contrário. Nas notícias da televisão, as imagens mostram, simultaneamente, um Primeiro-Ministro imperturbável, consciente dos assuntos do Estado e do lugar de Portugal no mundo Lusófono. Hoje em Cabo Verde, 24 horas depois de ter representado o mesmo papel como anfitrião do Presidente angolano.

Sócrates continua a correr nas avenidas marginais, oito quilos mais gordo pelo sacrifício a que se propôs de deixar de fumar quando foi apanhado a desrespeitar uma lei restritiva que impôs a todos os outros. «É de homem!», pensará o espectador.

Há três dias a TVI descobria que o mesmo Primeiro-Ministro não terá declarado os seus rendimentos entre 1999 e 2002. Fê-lo numa hora em que tantos empresários fecham portas e despedem milhares de trabalhadores, entre outras razões, por não conseguirem cumprir as suas obrigações fiscais. Passado um comunicado lacónico e insuficiente, Sócrates continuou a correr em frente com uma turma de seguidores sombrios.

Sócrates dá a mensagem de que os cães ladram e caravana passa. Os cães ladram uma licenciatura manhosa; um CV «corrigido secretamente» no Parlamento; inenarráveis licenciamentos forjados no anonimato de uma Câmara do interior; um apartamento estranhamente comprado por um preço abaixo da média; e a alucinante desafectação da reserva ecológica dos terrenos do Freeport, no dia limite de um Governo de Gestão, quando se divulgam «fumaças» de lobbying familiar e financeiro.

200 mil contra Sócrates geram 200 mil a favor de Sócrates. Os que sonham ser como ele: com rumo fixo e resultados garantidos. Imunes perante a adversidade. A proliferação das descobertas de irregularidades sobre José Sócrates parece legitimar a capacidade de resistência do Primeiro-Ministro mais do que a sua incapacidade de cumprir as regras a que todos nos sujeitamos.

Ora, em tempo de crise, o seu exemplo é pernicioso. Porque é nesta altura que o respeito pelos outros e pelas regras comuns deve ser mais instigado. E é nesta altura que expedientes tortuosos podem gerar maiores injustiças numa sociedade que luta pela sobrevivência. «Faz como Sócrates; vê como ele tem sucesso; por acaso parou de correr?; viu o Parlamento dissolvido? considerou os arrufos do Presidente da República? desceu nas sondagens? faz como ele e atingirás a meta em primeiro lugar».

Mas antes dos inteligentes, considero os heróis. E antes destes, os santos.

8 comentários:

Anónimo disse...

Concordo em pleno com este post, e estão criadas as condições para que isto coninue assim por muito mais tempo. Quando se tem uma comunicação social rigorosamente controlada, quando se tem muitos indíviduos "comprados" a trabalhar nessa indústria sem um pingo de vergonha e sem Valores que não sejam o do dinheiro e do compradio ( e isto não é de agora, basta ir-se a um arquivo e consultar-se os jornais e cássetes das duas semanas pré-eleitorais que antecederam as eleições de 1999 e em que os me(r)dia desafivelaram descarada e escandaosamente a máscara de neutralidade que se esforçam por usar. As eleições de 1999, recorde-se, foram as que deram os 115 deputados e a quase maioria absoluta ao PS.

Por outro lado é confrangedor a falta de espírito crítico e analítico desta situação da actual oposição (com excepção, GRAÇAS A DEUS, do ilustre Dr. A.J.Jardim) bem como de medidas para combater esta situação com as mesmas "armas" e no mesmo terreno, nomeadamente novos jornais independentes e plurais, novos currículos isentos e plurais das escolas de jornalismo, e finalmente o aconselhemto aos simpatizantes e eleitores de não comprar e financiar (seja pela compra seja pela inserção de publicidade) os actuais me(r)dia, no fundo estão a comprar sabonetes estragados sem o perceberem, em vez de estarem a ser informados estão a ser isso sim manipulados.

Graças a Deus também que os (estes, que merecem o r) "me(r)dia", estão a ir à falência com a Internet.

Mhs. cpts.,
CCInez

António Viriato disse...

Por sugestão do confrade JGonçalves aqui vim ter e fiquei agradado com o artigo, que denota lucidez e certa coragem, no contexto actual de crescente intimidação dos denunciadores do embuste socrático.

Votos de permanente inspiração, sem receios nem tibiezas, de desagradar a pretensos novos senhores de uma Democracia progressivamente domesticada.

Jorge Buescu disse...

Continua a correr, hem? Lá nos vamos encontrar de novo no domingo na mini-maratona. Já vos contei como fiz de emplastro, há uns anos, quando cortei a meta inadvertidamente 30 segundos antes dele? Estranhei estar ali incognito e ter todas as TVs apontadas a mim...

É bom saber que prioridades são prioridades. Run, Forest, run!

Sofia Galvão disse...

Nem de propósito, José Manuel Fernandes termina assim o seu editorial no Público de hoje: "(...) aquilo que ninguém pode adivinhar, mesmo fazendo sondagens, é saber se querer ser o que Marcelo definiu como um «Chico espero» corresponde a um sonho recalcado no fundo da alma de muitos portugueses. Mas mais depressa se diria que sim do que não" (vd. Público, 16.03.2009, p. 30).

lusibero disse...

Sofia: a metáfora do "Chico esperto" foi criada pelo saudoso DR. VALE GUIMARÃES, falecido há 3/4 anos, com a linda idade de 106 anos!"A César o que é de César".
Inez:linda foto, que fala por si,enquanto alguns burros deste país andam a recolher palha!O alucinado "primeiro" quer dar ares de que não lhe importa nada que o povo se junte para vaiar o seu pedido de "maioria absolutaaaaaa", a sua falta de imaginação e de políticas de solução dos problemas mais pungentes do nosso país.
No fundo, acredita, aquilo é só rosnar...

O Pinoka disse...

E no Portugal actual, não há qualquer duvida que é assim que um cidadão se safa.
Com exemplos destes vamos castigar quem?

Anónimo disse...

Excelente post! O regime pêesse bateu no fundo mais fundo de que há memória no Portugal pós 25 de Abril. O primeiro ministro é um exemplo de incompetência, arrogância, autismo e mediocridade. E a sua entourage (diz-me com quem andas...)tem a marca da mediocridade: o sósia silva pereira, o gabiru santos silva, a popota da dren, o lelo , o pedreira, a maria de lurdes e o seu valter, o pinho e o lino, o vital europeista de apanha recente, isto não para mais, tirem-nos deste filme...
Cicuta
(www.tapornumporco.blogspot.com)

Táxi Pluvioso disse...

Quanto a mim Sócrates está a cometer erros atrás de erros na condução de carneiros (isto é eleitoralmente falando). Ele pensa que são favas contadas, que não tem oposição, talvez acorde nas urnas. Oh!bama também não tinha oposição mas os publicitários do marketing político tiveram de dar o litro para o eleger.