sábado, 31 de janeiro de 2009

Os trabalhos e os dias

Venho só marcar o ponto de Janeiro. Para além de pessoalíssimos humores, mais ou menos radicais, que até a mim intimidam, tenho estado técnica e invulgarmente ocupado. Faço a lista das minhas culpas, cheio de ciúmes do quality time que estas coisas me roubaram:
Tive um affair com este filme que, entretanto, já me trocou por mais de 200 mil espectadores.

Aventurei-me, com instintos homicidas, no terreno de públicos vícios do documentário. Este acabou exibido pela RTP.

Dei comigo voyeur das privadas fraquezas (ou forças) do nosso incontrolável ditador, cuja angústia sexual vai surpreender os telespectadores quando a SIC a exibir em breve.
Entretive-me com a hermenêutica da "anatomia do ciúme" entre intelectuais. Já a podem encontrar nas livrarias.
Desesperado, chamei em meu socorro o Agente ZigZag. Não é todos os dias que nos deixam entrar na história de um traidor, amante, herói e espião, numa linha de fazer inveja ao Le Carré. À venda.
Volto em Fevereiro se os meus trabalhos e os meus dias o autorizarem e os meus humores forem tocados por aquele módico de narcisismo que motiva toda a escrita.

4 comentários:

Minderico disse...

Ó Manel, não se deixe vencer pelos seus maus humores. Apareça sempre, que a malta gosta de o ler.
(vmcs)

Manuel S. Fonseca disse...

Ó Vitor, você ainda é mais FIXE do que o Soares. Consegue olhar com simpatia para o despudorado exercício de auto-propaganda que eu fiz neste post. Mas também é por isso que a net tem graça: pode dizer-se tudo o que se quer. É melhor do que a psicanálise e é mais barato. Obrigado pela gentileza.

Sofia Rocha disse...

Nem caucionado por estas figuras, lhe posso perdoar a ausência. Vai ter de arranjar mais e melhor.
Um Nobel, um Oscar e talvez possamos conversar.

Leonor disse...

Encontrei-o finalmente! Saiba que me fez muita falta esta terça-feira, Manuel, e que continuo amuada, amuadíssima aliás :(