terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Ai, Deus, e u é?

Temos nós aprendemos na escola as flores de verde pino do rei D. Dinis.

Ai, flores, ai, flores do verde pino
--- Ai, flores, ai, flores do verde pino,
se sabedes novas do meu amigo?
Ai, Deus, e u é?
Passa-se o mesmo com a base de dados das aquisições públicas. Queremos aceder a ela. Queremos aceder a ela (http://www.base.gov.pt/Paginas/Default.aspx) e apenas temos como resposta
Ai, flores, ai, flores do verde ramo,
se sabedes novas do meu amado?
Ai, Deus, e u é?
Não se acede à base da transparência. Diz-se que se fomenta a transparência, e acho bem que se fomente. Mas tentando aceder a ela, apenas ouvimos a trova:
Se sabedes novas do meu amigo,
aquel que mentiu do que pôs comigo?
Ai, Deus, e u é?
Tentamos aceder novamente e eis que surge de novo a resposta:
Se sabedes novas do meu amado,
aquel que mentiu do que mi à jurado?
Ai, Deus, e u é?
Ao que perante a nossa perplexidade ouvimos responder:
Vós me preguntades polo vosso amigo?
E eu ben vos digo que é sano e vivo.
Ai, Deus, e u é?
E como? Perguntamos nós. E eis que descobrimos uma solução (http://transparencia-pt.org/?search_str=%22Presid%C3%AAncia+do+Conselho+de+Ministros%22)
Vós me preguntades polo vosso amado?
E eu ben vos digo que é vivo e sano.
Ai, Deus, e u é?
Em Portugal as pessoas queixam-se de uma sociedade civil não actuante e mole. Mas eis que descobrimos que esta sociedade civil afinal tem momentos de glória e actividade. Foi um conjunto de cidadãos que deu transparência à coisa (http://transparencia-pt.org/?page_id=2):
E eu ben vos digo que é sano e vivo
e seerá vosco ante o prazo saido.
Ai, Deus, e u é?

Basta? É evidente que não. Mas os governos nunca bastam sem sociedades que lhes dêem desafios. Porque em nome da transparência não deixa disponível o governo o dito site das aquisições públicas? Porque ficamos a saber, nada mais nada menos que serve de flores em geometria não euclidiana uma empresa http://publicacoes.mj.pt/pt/Pesquisa.asp?sFirma=&dfDistrito=&dfConcelho=&dInicial=&dFinal=&iTipo=0&sCAPTCHA=&pesquisar=Pesquisar&dfConcelhoDesc=&iNIPC=508769531
A apressada senhora Maria (http://publicacoes.mj.pt/pt/Pesquisa_Detalhe.asp?iID=1340421) constituiu a sociedade mesmo a tempo (Insc. 1 - AP. 15/20081016 11:42:08 UTC - CONSTITUIÇÃO DE SOCIEDADE, DESIGNAÇÃO DE MEMBRO(S) DE ÓRGÃO(S) SOCIAL(AIS)).

Ainda bem. O sítio dos contratos públicos não está acessível pelos seus efeitos cómicos. Governar é coisa séria, e não se brinca com coisas sérias.

E eu ben vos digo que é vivo e sano
e seerá vosco ante o prazo passado.
Ai, Deus, e u é?



Alexandre Brandão da Veiga

3 comentários:

gabriela disse...

caracterize o eu-lirico do texto?

Anónimo disse...

1.O texto é uma cantiga de amor ou de amigo? Justifique.

Anónimo disse...

Qual é o refrão da cantiga? Qual a sua função no texto?