sábado, 20 de setembro de 2008

O beijo do dragão

A falta de liquidez, o encerramento de bancos de investimento à míngua de depósitos, o estigma da falência do Lehaman Brothers, todo esse ruído se apaga face à flor silenciosa, rosa em botão, tão presente e quase invisível.

O beijo do dragão, D. Oukhov

4 comentários:

Maldonado disse...

Hum, o que dizes é bastante ambíguo, dando azo a múltiplas interpretações, algumas das quais perversas... ;)

bitaites disse...

Na beleza nunca há perversão, mesmo que se acrescentem palavras 'ambiguas'...

Pedro Lomba disse...

Talvez o post mais político que já li neste blogue.

Manuel S. Fonseca disse...

Eu, ao Pedro Lomba gosto sempre de responder (até por ser filosofia do Geração de 60), mas desta vez não sei o que lhe diga. Olhe, foi sem intenção, não fiz por mal. Prometo não me voltar a espalhar...