quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Back of the envelope

Coisas que li ontem e hoje no Público levam-me a algumas contas sobre o joelho no tema da escolha entre a Ota e Alcochete. Digamos que entre os dois locais haverá um excesso de 30 minutos de viajem em cada sentido, para quem viaje do ou para o Centro e o Norte do País, incluindo Lisboa e os viajantes do estrangeiro. Digamos que 75% dos passageiros estarão nessas condições. Digamos também que a viagem de 30 minutos a mais custará um excesso de 5 Euros, ou 10 Euros ida e volta. Um preço alto pois implica a passagem por uma ponte. Digamos ainda que usam o aeroporto 15 milhões de passageiros. Logo, 15 milhões de passageiros x 75% x 10 Euros = 112,5 milhões Euros no custo adicional dos bilhetes, em cada ano. Consideremos ainda que 15% das viagens são de negócios e que cada viajante ganha a módica quantia de 75 Euros à hora e que uma hora é o tempo que leva a fazer a ida e volta no percurso adicional. Assim, 15 milhões de passageiros x 15% x 75 Euros = 168, 75 milhões de Euros. A soma destes valores, isto é, cerca de 280 milhões de Euros por ano, corresponde a um imposto escondido da escolha de Alcochete. Simples, não é? E também muito dinheiro. Pode estar tudo errado, mas que existem custos deste tipo, disso ninguém pode ter dúvidas.

2 comentários:

Luis Eme disse...

Somos mesmo bons em imaginação, não há qualquer dúvida...

Pedro Lains disse...

"Somos"? Atenção aos direitos de autor... Mas obrigado por se juntar à opinião "imaginativa".